Marie Sklodowska Curie
(Varsóvia 1867 - Savoy, França 1934)

Marie Sklodowska, destinado para ficar famoso como "Senhoras Curie", recebeu a primeira educação em Polônia, nativo de terra de his/her. Em 1891 o transferiu para Paris continuar os estudos universitários, alcançando o grau logo após ambos em matemática e em físicas. Para a universidade conheceu Pierre Curie que se casou em 1895 e com que começou a estudar o fenômeno da radioatividade, de um pouco descoberto por Henry.Becquerel.
Os estudos dos cônjuges Curie, para o começo administrado nos laboratórios extremamente precários e sem qualquer tipo de proteção, eles trouxeram à descoberta de dois elementos radioativos: o polonio (assim chamou honra da terra nativo de Marie) e o rádio. Para isto receberam eles, junto com
H. Becquerel, o prêmio de Nobel para as Físicas em 1903. Quando no 1906 Pierre isto tragically morreram esmagado por uma carruagem, a Marie o assumiu à escrivaninha para o Sorbona, a primeira escrivaninha universitária nomeou a uma mulher na França. Para his/her trabalhos seguintes na radioatividade Marie Curie também recebeu o prêmio de Nobel para a Química em 1911.
Durante o Primeira Guerra Mundial, junto com his/her/their filha Irene, hocked ele para predispor serviços de radiologia de campo para suavizar os sofrimentos dos soldados. À 67 idade ano-velha morreu de leucemia, certamente conseqüente a você as exposições dela prolongam às radiações de qual ainda as conseqüências eram desconhecidas.

DEPOIS DE A MUDANÇA DELA' O MUNDO

DEU Á. A HUMANIDADE A PRIMEIRA ARMA PARA A LUTA CONTRA OS TUMORES

"Marie Curie. Correu longe da Polônia para ir estudar em Paris"


O primeiro laboratório em qual os cônjuges Pierre Curie (1859-1906) e Marie Sklodowska (nascido em Varsóvia em 1867, e o uniu em matrimônio com Pierre em 1895) eles desenvolvem as procuras científicas deles/delas, consiste em um habitante pequeno que pertence vetrato à escola de Físicas onde he/she trabalha o Pierre. E' uma loja onde I/you/they tem acumulam quintals de materiais e que também age de quarto dos carros; é eu privo de uma instalação elétrica satisfatória e o ar é saturado de fumaça e é umedecido, jurados hostis das ferramentas de precisão com que é necessário fazer as experiências. Mas a Marie não faz para muito nos caso, acostumado e quase afetuoso à vida estóica e spartana que you/he/she administrou durante os anos de estudo 'louco e desesperado' para Paris.

Corra longe de his/her Varsóvia amada que interditou o acesso às mulheres para a universidade, para you/he/she de Paris tinha morado em um sótão minucioso que he/she levaram luz de uma clarabóia pequena.
Não havia nenhuma luz elétrica, nem não supra com gás, nem não molhe. Por outro lado para um quarto compartilhando com outros estudantes, o polonês jovem tinha preferido uma solução mais modesta decididamente, mas em you/he/she de remuneração o silêncio inteiro e a concentração tiveram necessário fazer no máximo em estudos de his/her. A mobília o limitou o estreito necessário: uma cama com um colchão velho, um aquecedor, um abajur de óleo, um tavolino com uma única cadeira, um fornelletto para espírito para preparar as refeições, dois pratos, uma faca, um garfo, uma colher, uma xícara, uma caçarola, três óculos e um tronco grande que agiu de armário e de cadeira para os convidados.

Quarenta rublos por mês eram a figura que a Marie teve que fazer himself/herself/themselves seja bastante para toda necessidade e eles eram fruta de seu earningses como governanta quando estava na Polônia, dos sacrifícios de pai de his/her e parte do salário de his/her monja Bronia que o se formou em medicina para Paris que poucos viveu longe de casa de his/her. Marie estudou febrilmente normalmente o dia inteiro até os seis pela manhã e porém até quando não era realmente mais capaz disto. Às vezes o esqueceu virar no aquecedor, ou evitou virar em her/it de propósito se a escolta de carvão durante aquele mês fosse exausta e então seus dedos se tornaram violeta pouco a pouco do resfriado; quando sentia a necessidade de uma fratura, o dedicou à roupa suja de seus ternos puídos de qual até agora o enredo do tecido foi visto claramente.

Suas refeições consistiram principalmente em pão untado com manteiga e chá e em pequeno tempo ficou anêmico e sujeito a freqüente desfalece. Ao Sorbona freqüentou as lições de físicas, química e matemática e dia depois que dia que aprendeu com sempre maior surpresa e exaltação quanto o cérebro humano pode saber. Mas paixão de his/her elas eram as experiências científicas que aconteceram no laboratório da universidade. Marie amou o ar que ele inspirou o laboratório até mesmo, o silêncio, a concentração quase palpável, a concentração ao redor de his/her próprio ainda ou para o capote da lareira da qual gás e fumaças malcheirosas saíram. A mesma atmosfera que horas a Marie acha novamente no armário da escola de Físicas onde junto com marido de his/her tenta entender donde deriva essas radiações que Henri Becquerel tinha notado examinando os sais de urânio.

Becquerel tinha começado his/her experimenta e his/her procura para entender se você radiar semelhante aos raios de X, descobertos por Roentgen em 1895, que poderiam ser emitidos you/they dos corpos fluorescentes debaixo da ação da luz. Tinha notado assim que os sais de urânio permaneceram ao abrigo pela luz, espontaneamente enviou algumas radiações. Mas a ação deles/delas não terminou aqui. Se a mistura de urânio fosse fixa sobre um prato fotográfico, cercado por um papel preto, que isto impressionou o prato pelo papel; além dos raios enviados pelo urânio tido sucesso descarregando um elettroscopio que faz para o condutor o ar circunvizinho. Mas o que Becquerel não tinha sucedido descobrindo, era donde esta energia pudesse derivar. O primeiro propósito que a Marie é fixa isto é isso para medir o poder dos raios de urânio para fazer o condutor de ar de eletricidade e descarregar um elettroscopio, medir isso é deles/delas 'poder de ionização.'
Adquirir este you/they são usados um quarto de ionização, revelar a presença de ionizzanti de partículas, um elettrometro, medir diferenças de potencial e um piezoelettrico de quartzo.
Esta última ferramenta tinha sido inventada de Pierre junto com his/her/their irmão Paul Jacques em 1880, depois de ter descoberto isso em muitos cristais como o quartzo, o topázio e o clorato de sódio, submetidos a requerimentos mecânicos, é adquirido, ao redor duas faces opostas, uma posição elétrica de sinal oposto; propriamente graças a este efeito, estes cristais preparados permitem medir com quantidade de precisão muito fraco de eletricidade.

Depois de poucas semanas de experiências e observações, Marie conclui com certeza que as radiações enviaram pelo urânio eles não são influenciados da luz ou da temperatura e até mesmo da combinação química do urânio; além da intensidade das radiações é proporcional à quantidade de urânio presente. Mas, he/she desejam saber o cientista jovem, porque esta propriedade do urânio para enviar radiações também não pudesse pertencer a outros elementos químicos? Afinal de contas a descoberta no urânio foi feita para puro caso. Deste modo Marie dá examinar, um para um, todos os corpos químicos conhecidos, vir dar base a intuição de his/her dentro de pequeno tempo,: também o torio possui a mesma propriedade para a qual o nome é determinado de 'radioatividade' e os corpos que são talentosos terão chamado disto 'radioelementi.' Averiguou então aquela radioatividade é uma bomba atômica característica, a fase seguinte do trabalho do Curies que consiste no estudo de todos os corpos compostos simples e o mineral.

Marie percebe isso em algum mineral a intensidade de radioatividade é forte e you/he/she não podem ser justificados do menos quantidade de torio e urânio que eles contiveram. Não há nenhuma dúvida então que tem que existir outra substância pessoa muito mais poderosa radioativa desses cultive examinado agora. Ainda Marie já conferiu todas as substâncias químicas conhecidas. Significa talvez que outro elemento desconhecido existe à ciência que envia radiações de alto-intensidades?

A vida do Curies gasta completamente tão quase dentro do laboratório, exclua alguma fratura rara para uma corrida longa em bicicleta pelos bosques. Pierre enquanto isso insignia na escola de Físicas e ganha quinhentos franchi um mês e Marie, depois do grau dobro em físicas e matemáticas, que you/he/she está estudando por adquirir o doutorado. Setembro que 12 th 1897 nasce que Irène e as energias e as atenções que cultivam o Curies agora dedicaram exclusivamente à ciência, eles têm que a dividir com a criança deles/delas agora; não obstante a Marie, como está em sua natureza, ele não poupa e he/she tem sucesso nem não perguntando nem sacrifícios ao um para o outro de suas criaturas. He/she escreve para Bronia a irmã de his/her/their: "... Nossa vida sempre é igual. Nós trabalhamos muito, mas nós dormimos bem para qual nossa saúde não sofre disto. A noite nós passamos her/it para nos lidar com o pequeno. À manhã eu visto her/it e eu lhe dou algo que comer; depois disso eu posso sair geralmente para os nove. Durante o ano inteiro nós não fomos nem nem para o teatro a um concerto, nem nós não fizemos uma única visita... Não há que a família de quem sente a falta enormemente, e acima de tudo você, querido meu e pai... Eu não tenho outros motivos de qual reclamar eu, porque saúde não é ruim, a criança cresce bem, e eu tenho o melhor marido que pode ser sonhado... E' um verdadeiro presente do céu... Nosso trabalho progride. Eu estarei bem logo ocupado uma conferência neste assunto... " (De uma carta para 1899 Bronia, Eva Curie, Vida da senhora Curie, pág. 178)

Na 1898 Marie comunica para a academia das Ciências que: "dois mineral de urânio: o pitchblende (óxido de urânio) e o calcolite (fosfato de cobre e de uranite) eles são muito mais ativos do mesmo urânio. O fato deve ser notado e induz para acreditar que este mineral podem conter um elemento novo mais recurso do urânio... " (Das Contas de abril 12 th 1898, ib., pág. 165). Particularmente O pitchblende mostrou uma habilidade alta para enviar radiações. Por outro lado a composição deste mineral é conhecido e definido, então o elemento escondido radioativo tem que estar presente em quantidade tão reduzido por ser escapado todos os exames precedendo. O método para isolar o corpo radioativo é muito banal, mas pede uma precisão infinita. Se trata de decompor o pedaço mineral para pedaço e eliminar essas partes que não enviam radiações. "... Nós acreditamos que a substância que nós tiramos do pitchblende não contém um metal contudo sinalizou, próximo ao bismuto para suas propriedades analíticas.
Se a existência deste metal novo será confirmada, nós propomos chamar polonio de him/it, do nome do país de um de nós... " (Contas, 1898 de julho, ib., pág. 168).

E ainda: "As razões diferentes que nós enumeramos nos empurram acreditar que a substância radioativa nova contém em si mesmo um elemento novo para o qual nós propomos dar o nome de Rádio lá. A substância radioativa nova contém uma proporção forte de bário certamente: não ostante esta radioatividade é considerável. A radioatividade do rádio dev'essere enorme então." (Contas, dezembro 26 th 1898, ib., pág. 170).

O trabalho do cientista tem valor só se cada conclusão alcançada menor é apoiada por testes múltiplos e controprove que confirmam her/it e para agora o rádio de Pierre e Marie you/he/she esteve só 'percebeu', mas não contudo visto e isolou. Mas sobre adquira do rádio e do polonio puro? Tudo é necessário recuperar o pitchblende no qual são achados rastros destas substâncias novamente. O pitchblende é extraído nas minas de Afundou Joachimsthal em Boemia e fazer alcançar her/it Paris pretende pagar alguns custos altos. Por outro lado os dois cientistas eles não têm escolha e, depois de ter feito uma conta expressa das poupanças deles/delas, eles decidem fazer ser enviados o que avança do mineral pelo menos depois que you/he/she fosse o urânio tirado disto. Enquanto isso seria melhor para achar uma melhor organização para produzir as procuras e as experiências. No pátio da escola de Físicas uma cabana de madeira é achada virado colocar de dissecação dos corpos mortos uma vez. O telhado é de copo, o chão de bitumen rachado; um tavolaccio velho, um quadro-negro preto e um alimentou para cima com ghisas enferrujado constitua a mobília e o gerente da escola não tem qualquer dificuldade para render her/it aos dois noivo algum bislacchi. Tudo parece ir para o melhor e a segunda fase do you/he/she de trabalho pode ter começo. Enquanto o Pierre negociar com definir precisamente cada vez mais as qualidades do rádio, a Marie tenta chegar sais de rádio ao puro estado: Foram induzidos "I/you/they para tratar até mesmo areja quilogramas de material durante tempo que teve por causa de encher a substituição de grandes vasos cheio de caído e de líquidos. Era um trabalho cansado que transportar os recipientes, decantar os líquidos e tremer, durante tempos e tempos, o assunto em ebulição em um recipiente de ghisa" (ib., pág. 176).

Em realidade a cabana o revela muito mais incômodo que que que tinha pensado. Em verão, os raios do sol, filtrando pelo telhado de copo, eles se transformam o lugar em uma estufa quente, em inverno gela ele e se chover, água entra do telhado em mais pontos; sem contar os ventos que, livremente transiting na substituição, eles transportam e eles depositam pós de todo tipo em qualquer lugar, enquanto o trabalho de Marie consiste em isolar e purificar mais precisamente o possível as misturas químicas. A maior parte do trabalho vai virar porém ao aberto porque não são fornecidas as ferramentas usadas de buracos de abertura para os gases. "Para aquela época nós éramos completamente absorvidos pelo domínio novo que abriu em frente a nós graças a uma descoberta inesperada", fala para a Marie. "Apesar das dificuldades de nossas condições de trabalho, nós sentíamos muito feliz lá. Nossos dias passaram no laboratório. Em nossa substituição tão pobre reinou uma grande calma; às vezes, vigiando alguma operação, nós caminhamos dentro em e abaixo conversar do trabalho presente e daquele futuro; quando nós tínhamos frio, uma xícara de chá tomada morna perto do aquecedor nos confortou. Nós vivemos com uma única preocupação, como em um sonho. ... Nós não vimos mas poucas pessoas no laboratório: algum químico, algum físico veio nos achar, ambos ver nossas experiências, de vez em quando ambos perguntar alguma sugestão a Pierre Curie... E eles eram então conversações em frente ao quadro-negro, desse aquela licença uma memória excelente porque eles agem como estimulando do interesse científico e do ardor de trabalho, sem interromper o curso das reflexões e sem transtornar aquela atmosfera de paz e ch'è de concentração a verdadeira atmosfera de um laboratório" (ib., pág. 176-177).

Em deste modo eles gastam quatro anos durante qual, seguindo as publicações freqüentes do Curies nas propriedades da radioatividade, na Europa esparrama um interesse de profundidade pelo assunto. André Debierne, cientista francês, tem sucesso isolando o semelhante para actínio o rádio e George Sagnac junto com Pierre Curie passam antes dos estudos a posição elétrica transportada pelos raios secundários dos raios o X.

Como vimos nós, as procuras na radioatividade para a qual o Maries e Pierre Curie quase o dedicam com uma paixão incrível e uma energia para o limite das possibilidades físicas deles/delas, atraia o interesse de todos os ambientes científicos europeus. Infelizmente porém as dificuldades econômicas que o dois debbono de investigadores para enfrentar eles são enormes. O Pierre precisaria da escrivaninha de Físicas ao Sorbona poder ganhar uma figura notável e soltar o ritmo de vida e trabalho de ambos aquela ameaça para causar yeldings irreversível, mas as recomendações necessárias sentem falta dele. He/she deixa a Escola Politécnica porém e you/he/she é contratado como professor confiado ao P.C.N. (Físico, Chimie, naturelle de Ciências), isso lhe permite ganhar um salário mais elevado enquanto a Marie começar a ensinar físicas à Escola Superior das Meninas de Sèvres.

He/she escreve para um o aluno de ex dele: "Até nossa chegada para Sèvres tínhamos acreditado nós que físicas eram completamente instruídas nos livros... Tudo mudou quando nós tivemos como professor Marie Curie. Este experimenter qualificado estava ferido da pobreza dos laboratórios da escola de Sèvres e da insuficiência dos trabalhos prático, e definido o compensar... Grosso ela nos trouxe construiu instrumentos ou modificou atrás de sugestão de his/her que nós usamos com ela. Eles eram instrumentos simples, nosso guia porém estava tão qualificado que teve sucesso para adquirir as medidas até mesmo, e nada era mais appassionantes do discutir, para coisas terminadas, com ela dos resultados adquiridos em comum... Deste modo a frieza de Marie Curie que era só um modo de disfarçar o timidez escondeu uma humanidade e um calor que nós não demoramos para descobrir" (Algodão de E., O Curies, pág. 48-50).

Porém o ritmo dos dias é duro; a viagem de Paris para Sèvres duas vezes por dia é longo e cansado e a Marie o desespera ao pensamento que poderia empregar aquele tempo de todo em laboratório de his/her. Tantopiù que o rádio parece querer manter a todos os custos seu segredo e mais que isto persiste ele resistir a ciência, mais Maries aumenta os ritmos de trabalho.
Em 1902, é derrotada a batalha e a senhora que Curie apresenta para um puro decigrama de rádio para o mundo inteiro dela preparado: o rádio existe e tem um peso atômico de 225. Aos olhos do mundo inteiro a descoberta nova se aparece prodigiosa. O rádio tem radiações cuja intensidade é igual a dois milhões cronometra esses do urânio; só um prato de dianteira pesado pode parar seus raios.
Produz calor, é luminoso, alguns corpos incapazes faz fosforescente para produzir luz espontaneamente e infeta com radioatividade de his/her os corpos com que vem contatar; envia espontaneamente além de um gás radioativo que será chamado subseqüentemente 'radon', o qual, isolado e limitou em uma galheta, ele evolui e progressivamente perde radioatividade de his/her: é a primeira vez que são vistos corpos considerados inanimados para mover e a teoria da evolução do assunto fica rica de elementos novos.

Mas a coisa mais surpreendente talvez de todo o mundo é que o rádio pode matar as celas do corpo humano. He/she escreve para a Marie: ".. nós estivemos usando as mãos, durante as procuras feitas com produtos muitos ativos, várias ações. As mãos têm uma tendência geral para escalar fora himself/herself/themselves; as extremidades dos dedos que seguraram os tubos ou o racchiudenti de cápsulas produziram muito ativo se tornado duro e às vezes muito doloroso; em um de nós, a inflamação das extremidades durou umas duas semanas de dias e you/he/she é acabado com o outono da pele mas a sensibilidade dolorosa, em cabeça para um mês, you/he/she ainda" não desapareceu (Vida da senhora Curie, pág. 202).
Pierre, junto para alguns médicos franceses, administra alguns estudos em declarações de animais para as radiações e em uma primeira vez de tempo é pensado em poder recuperar com este método o lupus e algumas dilacerações da pele. A academia das Ciências concede 20.000 franchis ao Curies para a extração do assunto. A Sociedade geral dos produtos químicos faz para his/her própria estrutura puxar o rádio sem puxar qualquer um lucro disto e em 1904 a primeira fábrica que you/he/she disponível é fundado para a provisão do rádio.

A indústria do rádio em pequeno tempo o desenvolve no mundo inteiro e o Curies têm que escolher se segurar para si mesmo o privilégio de fabricam, vender him/it a querido preço ou fazer him/it de todo o mundo disponível.
"De acordo comigo Pierre Curie deixou de tirar um lucro material de descoberta de his/her: nós não levamos algum privilégio e nós publicamos sem reserva algum os resultados de nossas procuras como o processo de preparação do rádio. Além nós demos toda a informação que solicitou às festas. Este foi um grande benefício para a indústria do rádio que pôde desenvolver himself/herself/themselves por completo liberdade, primeiro na França então para os países estrangeiros, fornecendo os produtos dos quais you/they tiveram necessidade aos cientistas e os médicos" (ib., pág. 208).

Marie com descoberta de his/her também termina tese de his/her de doutorado do título Procura nas substâncias radioativas e a incumbência do Sorbona lhe concede o título de doutor em ciências físicas com a menção 'muito honrado.' dezembro 10 th 1903 a academia de Ciências em Estocolmo comunica publicamente que o prêmio de Nobel durante o ano foi atribuído em desenvolvimento para meio a Henri Becquerel e para meio para o cavalheiro e a senhora Curie: 70 mil franchis de ouro e a fama para torção de nível mundial a vida dos dois cientistas modestos. Estudioso do mundo inteiro eles perguntam para a presença de Monsieur e Senhoras Curie ser adiado nos detalhes na descoberta nova.

Os cônjuges assim que eles sejam capazes que eles tentam fazer os colegas deles/delas de tudo disto que sabe participar, mas eles escapam com todo mau a celebração, o awardings, os elogios dos quais you/they teriam tido necessidade se durante os anos duros da procura: "Nós somos inundados de cartas de visitas de fotógrafos e jornalistas. He/she gostaria de ser capaz você ele esconder debaixo de terra para ter alguma paz. Nós recebemos uma proposta da América ir fazer abaixo lá umas séries de conferências em nossos trabalhos. Eles nos perguntam que soma que nós gostaríamos de receber. O que isso é as condições, nossa intenção é recusar. A castigo grande nós recusamos os banquetes que quiseram organizar em nossa honra. Nós recusamos com a energia do desespero e as pessoas que entende que há nenhum qualquer coisa de fare"(ib., pág. 215).

A vida deles/delas o faz mais estendido ligeiramente, também graças à melhor situação econômica decididamente. Eles concedem algum espetáculo de pintar ou algum espetáculo de vanguarda; eles desultorily participam nas recepções nos círculos dos cientistas e enquanto isso a Véspera segundo-nascida que nasce. Finalmente para o começo de 1904 o Pierre adquire a escrivaninha de Físicas ao Sorbona e Marie, que you/he/she trabalhou livre até este momento e sem qualquer título foi a reconhecido, cabeça dos trabalhos de físicas é nomeada perto da escrivaninha de marido de his/her/their. Mas abril 19 th 1906, a tragédia,: Pierre estampas esmagadas por um vagão pesado ao longo do Sena enquanto you/he/she está voltando de uma reunião de professores. A Marie está desesperada, mas you/he/she não podem libertar agora mesmo e assim he/she acontece de marido de his/her/their para a universidade: é a primeira mulher para cobrir tal custo; "you/he/she é me oferecido a levar sua sucessão, meu Pietro, seu curso e a direção de seu laboratório. Eu aceitei. Eu não sei se I/you/he/she era bem ou mal. Você me falou freqüentemente que você teria gostado de ch'io que eu levei um curso ao Sorbona. E eu gostaria pelo menos de fazer um esforço para continuar os trabalhos. Às vezes parece eu que isto me faria mais fácil viver, algum outro parece eu estar louco para empreender isto" (ib., pág. 257).

Também o laboratório de Pierre em Se arrependa Cuvier precisa de atenções e Marie em pequeno tempo dá boas-vindas aproximadamente dez aprendizs de cientistas para começar novo vá buscar programa. Para his/her apóie há o Andrè de amigo Debierne com que he/she tem sucesso isolando o rádio-metal, estudar os raios enviados só pelo polonio e Marie descobre um método para dosar o rádio.
Levar na realidade ao cuidado de um pouco de doenças, é necessário adquirir millesimi de miligrama de substância e o equilíbrio tradicional serve para poucos; é ao invés possível medir a quantidade de rádio pelas radiações que são enviados you/they. Vem assim o criado no laboratório um serviço de medida do rádio para tudo aquilo a disposição de cientistas, médicos e investigadores dos que eles precisam disto. "A coisa mais importante e precioso algum laboratório era o contato íntimo que era estabelecido entre os estudantes e professores... Marie Curie pôde bem comunicar his/her própria convicção para todo investigador que um trabalho consciencioso é a base essencial a qualquer procura científica, que um resultado não fundou nada não vale, absolutamente enquanto, contrariamente, um esforço trabalhador dá uma satisfação extrema" (E. Gleditsch, falou mantido ao Sorbona na ocasião da celebração para o 50° aniversário do primeiro curso de Marie Curie, O Curies, pág. 76).

Em 1910 a senhora que Curie apresenta para candidatura de his/her para a admissão para a academia das Ciências. Rival de His/her é Edouard Branly. Uma luta sem igual o instiga entre o partidário do um e a outra parte: "As mulheres não podem pertencer ao instituto", eles exclamam his/her rivaliza e o dia da eleição o presidente que ordena a voz alta ao porteiro: "Você permite entrar em tudo, exclua as mulheres."
Porque um voto que a Marie não é elegida, mas, como a filha de his/her diz Véspera: " a história do Curies diria que o perpetually de países estrangeiros corrige os gestos de França" (ib., pág. 281) e ao redor um ano depois da academia das Ciências em he/she de Estocolmo a confere o prêmio de Nobel para a Química.
Para ironia do destino Marie que desejaria uma existência solitária para natureza de his/her reservado e distante das luzes do footlight, é forçado a fazer as contas com a popularidade. Não só. His/her apesar de, é um das primeiras mulheres que com you/he/she de valores de his/her fingiram penetrar no mundo masculino ciumento que reclama dentro disto um papel de alívio. E isto não é aceitado. He/she ainda escreve Véspera de filha de his/her: "Como uma rajada abrupta, a maldade é deprimida nisto e tenta destruir her/it... Maria ch'esercita um trabalho masculino, escolheu entre o his/her de homens próprios amigos, his/her próprios confidentes. Isto para ser práticas excepcionais em his/her possui íntimo, aceso deles acima de tudo, uma influência funda.

Não leva mais!... you/he/she é acusado de transtornar a paz das famílias e desonrar um nome que traz magnificamente... Toda vez que a ocasião o apresenta difamar esta mulher sem igual, como pelos dias 1911 dores, ou a recusar um título... sua origem é lhe reprovada humildemente: tratado tempo às vezes como isto roncos, alemão, judia, polonês, é her/it 'o estrangeiro' venha para Paris por usurpador, para o propósito conquistar uma situação alta" ilegalmente (ib., pág. 282).

Nas 1914 graças para os enviado de fundos para disposição da universidade e do instituto o Pasteur é constituído o instituto do Rádio dentro Lamente Pierre Curie. Inclui duas seções: um laboratório de radioatividade que dirigirá a mesma Marie e um laboratório de procuras biológicas e Curieterapia onde são produzidos you/they para os estudos no caranguejo. Depois do fim da guerra durante qual a Marie junto com his/her/their filha Irene, era determinado por fazer por equipar os hospitais militares com instrumentos para as radiografias e formar pessoal aquele he/she souberam os usar, o instituto leva ritmo cheio.
Com a devoção habitual incansável a Marie trabalha por aumentar a quantidade de sais de rádio puro no mundo, sempre adquirir assuntos radioativos novos e raros, criar institutos para o tratamento de doenças diferentes, acima de tudo o tumor maligno, e lutar o também anarquia que existe no mundo da ciência, acima de tudo como considera a informação científica.

A Marie morre julho 4 th 1934, enquanto you/he/she está completando outros de trabalhos de his/her, cortado por um aplastica de anemia pernicioso, conseqüência da exposição longa para as substâncias radioativas. Nos permite numerosos textos científicos entre qual, a linhas, emergem palavras como estes: "Elas estão entre essas pessoas quem you/they pensam que a ciência tem em si mesmo uma grande beleza. Cientista no laboratório não só é um técnico; you/he/she também é um jogo de criança em frente a phenomenons natural que impressiona him/it como elas eram fábulas. Nós temos que ter um mau comunicar este sentimento ao exterior; nós não devemos lasciar para acreditar que o progresso científico pode ser reduzido a mecanismos, para carros, para engrenagens que, de porém, posseggono também eles uma própria beleza.
Eu faço nem mesmo acredite que em nosso mundo o espírito riscos aventureiros para desaparecer. Se, ao redor de mim, eu vejo algo vital realmente é o espírito de aventura que não parece nenhum eradicable e que se assemelhar a à curiosidade. Eu sou propenso acreditar que é um instinto primitivo da humanidade, e na realidade eu não vejo como a humanidade teria podido subsistir you/he/she tinha sido priva, igualmente em qual não pôde sobreviver uma pessoa completamente privada de memória. Não são desaparecidos a curiosidade e o espírito de aventura completamente. Nós achamos o espírito de aventura em crianças de his/her/their, para todas as idades e todos os níveis" (O Curies, pág. 93).